November 13, 2017

, ,

Relatório dos Shows: Mie e Gifu


O que está acontecendo com Ayumi Hamasaki?...
Não sei se a resposta tem relação com o que comentei no relatório anterior ou com algo completamente diferente. Pode ser que a própria Ayu diga "hein? Do que está falando?".
De qualquer forma, mais que nas outras vezes, alguma coisa me chamou atenção em 'Microphone' nos ensaios em Mie. Uma voz eletrizante. Linda. O que foi aquilo? Uma Ayumi Hamasaki capaz de fazer chorar, e que eu aplaudi automaticamente.
Enquanto fazia anotações em meu notebook, não consegui escrever sobre o que via no palco naquele momento. Talvez o mais correto seja dizer que fiquei tão fascinada que me esqueci de escrever.
Tanto em Mie quanto em Gifu no dia seguinte, a animação dos fãs era incrível, bem como a expressão triunfante de Ayu quando ergueu os braços no fim da primeira parte do show. Tenho quase certeza que não foi minha imaginação. Era uma expressão radiante, como se dissesse "consegui!!".
Sem contar que a interpretação de 'Mirrorcle World' soou um pouquinho diferente das outras vezes. A forma como Ayu cantou me fez sentir algo que pretendo analisar melhor futuramente.
E no dia seguinte, em Gifu...
Já sabíamos que haveria uma alteração na setlist no bloco das baladas (*Nota: a partir deste show, 'Dearest' foi substituída por 'beloved'), e no ensaio o dançarino KO-chan ouviu dos bastidores quando Ayu começou a cantar. Correndo para os assentos da plateia, ele se sentou ao meu lado e disse "simplesmente AMO essa música!". Era 'beloved', ouvida pela última vez há dois anos durante a TA Tour.
Naquela ocasião, me lembrei que Ayu cantava esta música como se transmitisse sofrimento nela, e que eu sempre desejava que ela superasse o que quer que a estivesse machucando. Mas... Por que cantá-la hoje? Ontem tínhamos visto um show tão grandioso, e agora escolheu apresentar esta música? Mas assim que Ayu terminou de cantá-la (com uma voz impecável), KO e eu estávamos chorando e aplaudindo com emoção.
Durante o show, a sequência 'beloved ~ how beautiful you are' tocou fundo em nossos corações. Olhando em volta, vi que muitas pessoas também estavam quase chorando.
Hoje, mais do que antes, uma música que fala da coexistência da gentileza e da força como 'how beautiful you are' me deu a certeza de que o que floresceu dentro de Ayu neste Segundo Ato foi algo moldado aos pouquinhos e construído juntamente com os fãs. O que ela planeja construir antes da celebração do 20º aniversário? Sinceramente, eu não faço a menor ideia.
E será que vocês também não acham que a "Ayumi Hamasaki" atual está diferente daquela das arenas?...
A propósito, a pequena apresentação de ZIN no encore interpretando Oda Nobunaga(*) fez bastante sucesso com a plateia! Iseki e Subaru também participaram, e apesar das fantasias e efeitos sonoros, a performance não foi algo planejado com antecedência. A ideia surgiu durante o ensaio antes do show, mostrando que nossa equipe é mesmo fabulosa.


E a celebração-surpresa do aniversário de KUNI-kun naquele dia também foi um sucesso!
Ainda temos um longo caminho a percorrer nesta turnê. Que surpresas aguardam por vocês daqui pra frente? Acredito que todos estejam ansiosos, não é? Pois é, enquanto a equipe faz os preparativos, eu termino por aqui.

O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com).


(*) Oda Nobunaga foi um famoso samurai da Era Sengoku (séculos 15 e 16), considerado um dos maiores governantes do Japão e o primeiro unificador do país ao conquistar quase 1/3 de todo o território japonês.
E Gifu tem grande ligação com ele: localizada exatamente no centro do Japão, a cidade (na época chamada "Inokuchi") era um ponto estratégico bastante cobiçado. "Controle Gifu e você controlará o Japão", já se dizia na época. Resumindo, Nobunaga conquistou a cidade e mudou seu nome para "Gifu", usando-a como base de operações e iniciando ali seus planos de unificar o país após séculos de guerra civil.
Graças a isso, o governante é visto como um dos heróis da cidade e tem a importância de um "fundador", ganhando uma estátua dourada bem em frente à estação de trem. Além disso, ele é homenageado anualmente no "Festival Nobunaga em Gifu", onde várias pessoas vestidas com armaduras de samurai desfilam pela principal rua da cidade.

November 12, 2017

, ,

Relatório dos Shows: Fukui e Ishikawa

Trazemos hoje o relatório referente aos shows em Fukui e Ishikawa (nos dias 11 e 12 de outubro).


Em épocas de arena tour, os shows acontecem no 'Fukui Sun Dome', certo? Mas nesses dois dias, percebi uma atmosfera muito semelhante à dele no 'Phoenix Plaza' e no 'Honda no Mori Hall'. A paixão de vocês era tanta que senti um clima bem familiar, como se voltasse ao lar...
A diversidade na faixa etária do público era grande: havia senhoras, senhores, jovens que tinham voltado da escola, crianças pequenas usando a blusa do moleton da turnê, etc, etc.
E talvez por se tratar de uma região com o maior número de membros do fã-clube, o grau de animação foi enorme no Phoenix Plaza!

Ok, hora de irmos direto ao assunto. Antes dos shows em Fukui e Ishikawa, Ayu postou um recado nas redes sociais; então vieram os dois shows e mais uma mensagem foi postada(*). Para mim, estes três pontos estavam interligados, mas curiosamente, no show em Ishikawa eu olhava muito mais para a plateia que para o palco. Por que será? Pensando agora, acho que entendi o motivo.
(*) No dia 10, véspera do show em Fukui, Ayumi postou o refrão de "SAKURA" supostamente pelos 9 anos da morte de um grande amigo. Já no dia 12, após o show em Ishikawa, a cantora postou agradecimentos pela energia recebida do público e completou: "Vivi momentos especiais junto a vocês, e graças a esta experiência vou seguir em frente com toda determinação!!!". Detalhe que em Fukui, após a última música "TODAY", Ayumi cantou um trecho de "SAKURA".

Por acaso, ou não, algo transformou Ayu em 'Ayumi Hamasaki'. Há uma razão justa para isso, e a resposta se reflete no olhar dela quando está sobre o palco. Ayu é uma pessoa abençoada como artista, e naquele momento, mais uma vez, toda sua felicidade e razão de viver foram compartilhadas com os fãs. Podia parecer uma visão comum e corriqueira, mas algo esteve diferente naqueles dois dias. Claro que não me refiro a algo concreto, palpável, mas a uma coisa que conectava o palco à plateia.
Existem coisas que fazem as pessoas sorrirem. Existem coisas que entretêm as pessoas. E existem coisas que fazem as pessoas chorarem.
Há algum tempo, já me peguei pensando "afinal, quem é essa pessoa chamada Ayumi Hamasaki?". Às vezes, ela carrega um fardo maior que o de uma pessoa comum e que pode parecer doloroso e sofrido aos olhos dos outros. Como por exemplo, no show em Nagoya ocorrido há exatamente um ano(*). E não importa a distância de onde você a veja, há coisas sobre ela que você acha que entende e coisas que jamais vai poder compreender.
(*) Tsuriko se refere aos três shows da TA Tour naquela cidade, entre 24 e 26 de outubro de 2016. Na ocasião, ela escreveu no relatório que Ayumi se esforçou no segundo show para que ninguem percebesse o esgotamento físico e vocal (a cantora estava tão debilitada e longe da "perfeição" que o show do dia 26 seria impossível). Logo após aquela apresentação, o site oficial anunciou de última hora o cancelamento do show seguinte alegando o diagnóstico de laringite e bronquite aguda, e Ayumi só retornou aos palcos no dia 31, em Ehime.
Vale lembrar que no dia deste segundo show em Nagoya, antes do ensaio, Tsuriko foi ao hotel e encontrou um médico no quarto da cantora, além de vários remédios espalhados. Mesmo em tais condições, Ayumi teria pensado em todos os fãs do TA e dito "eu preciso fazer este show, porque é obrigação da 'Ayumi Hamasaki'".

Tenho a impressão de que nesses dois dias, houve algo parecido. E mesmo assim, pode ter sido apenas UMA coisa dentre tantas outras... E embora Ayu e cada pessoa da plateia possam ter mudado nesses 19 anos, ela deu a entender que nada mudou. Foram dois dias nos quais a preciosa relação estabelecida entre Ayu e os fãs ficou comprovada mais uma vez.
E, falando de forma simples, foi excepcional ver o momento em que Ayumi Hamasaki unificou música e alma. Mesmo com um grau de perfeição diferente do que ela busca em uma Arena Tour e focando apenas nos sentimentos das canções, no momento em que suas emoções afloraram, cada uma daquelas palavras penetrou fundo em nossos corações. Foi como o sorriso dela e da plateia ao cantarem juntas "how beautiful you are", ou a profundidade dada ao Segundo Ato com a inclusão da nova música – que já ganhou uma importância muito maior do que quando foi ouvida pela primeira vez. Nada é planejado, e sempre fico surpresa com as coisas que ela traz à tona.
Quem esteve na TA Tour deve ter visto isso, e esta é a verdadeira Ayu. De música em música, ela se entrega de corpo e alma, e várias vezes cheguei no camarim para vê-la tão esgotada que mal conseguia falar. Mesmo longe da perfeição, há coisas que só ela é capaz de mostrar e sentimentos que só ela é capaz de despertar. E a magnificência de Ayumi Hamasaki pode ser vista sempre que os fãs deixam o local com um grande sorriso no rosto e dizem "adorei ter me encontrado com ela".
Sei que é impossível colocar isto 100% em palavras, por isso, como sei que não vou compreendê-la quando está sobre o palco, não terei a pretensão de fazê-lo.

Muitos com certeza captaram a mensagem ao final do show, de que aquela Ayu sobre o palco era a "Ayumi Hamasaki" com dores que não podem ser aliviadas; mas ainda assim, o sorriso que ela mostrou também indicava que independente disso, o fato de ter recebido uma tremenda energia positiva de cada um de vocês fez com que se sentisse feliz por ser esta "Ayumi Hamasaki", e plenamente realizada. Quem me fez perceber isso não foi ela ou o show, mas vocês da plateia.
Com certeza, todos assistiram aos shows com orgulho de Ayu e por isso a aplaudiram de forma tão calorosa.
Vocês sabem: quem sempre dá coragem e força a ela são os fãs.


O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com).

November 03, 2017

, ,

Relatório dos Shows: Oita e Kumamoto

Trazemos hoje o relatório dos shows em Oita e Kumamoto (nos dias 4 e 5 de outubro).


Oita
"Permitam-me começar dizendo que o show foi demais!!!! O Iichiko Grand Theater, que estava um pouquinho gelado durante os ensaios, foi tomado por um calor tão grande que me fez suar! Minha intuição já dizia que seria ótimo; mas gente, foi maravilhoso!!!! Quando as cortinas se abriram, pôde-se ver no telão que Ayu chegou a sorrir com os gritos da plateia – e isso porque ela sempre se mantém séria nessa hora.
Já tinha visto um show em Oita graças ao a-nation, e acredito que além dos espectadores que costumam ir aos shows regularmente, muitos estavam no hall pela primeira vez. Ainda assim, a animação tomou conta do início ao fim da performance, nos deixando muito felizes. Sério, gente, vocês são o máximo! Me lembrou do clima festivo e único que costumamos ver no 'Santuário'.
Devo dizer que foi emocionante ver fãs tão jovens com tanta animação; fosse dançando, agitando seus leques ou olhando para o palco com lágrimas no olhos... Provavelmente, suas mamães são fãs de Ayu e lhes mostraram seus DVDs, não é?
E ao fim do show, Ayu, os dançarinos e os acrobatas também exibiam um grande sorriso. Logicamente que em cada cidade, a equipe se une aos fãs, que contribuem com sua grande animação para fazer daquele único dia o melhor show possível.

Entretanto, houve algo diferente nos ensaios em Oita. Normalmente, Ayu checa os vídeos que serão exibidos no telão e faz ajustes na iluminação e coreografia, mas naquele dia, os ajustes foram muito mais profundos e detalhados! Tivemos alguns dias livres desde que estivemos em Shizuoka, mas neste curto período também houve as comemorações dos aniversários de Matsuura e o de Ayu logo no dia seguinte – o que todos acompanhamos pelas redes sociais. Onde foi que ela encontrou tempo para pensar em todos aqueles detalhes...?!
Perguntei 'você deve ter se isolado e analisado a performance por vídeo, não foi?', e Ayu deu um sorrisinho sem-graça dizendo 'é que eu não gosto muito do meu aniversário...'. Apesar de muitas vezes tomar a iniciativa para preparar surpresas nos aniversários de membros da equipe e amigos, ela sempre teve esta visão sobre o próprio aniversário.
Tenho quase certeza de que durante aquela semana, a 'Ayumi Hamasaki' dentro de Ayu sofreu algum tipo de mudança, porque ela esteve simplesmente perfeita! E a performance de 'Microphone' no ensaio e no show daquele dia foi a melhor que já presenciei até hoje. Sempre gostei desta música, e por ter se tornado parte da setlist no Segundo Ato, sempre a ouvi com muito gosto. Mas naquele dia em Oita, pensei 'essa música está perfeita hoje!'.
É bem provável que algo tenha influenciado Ayu e a 'Ayumi Hamasaki' dentro dela. Foi justamente assim que enxerguei aquilo após o ensaio: uma mudança no interior de Ayu. E a música 'TODAY' no encerramento do show não soou triste, mas transmitiu bastante força.
Não tive coragem de lhe perguntar se tinha acontecido algo, mas tive a impressão de que tinha superado alguma coisa.

E no dia seguinte...
Fazia quase um ano que tínhamos estado em Kumamoto, desde a TA Tour no ano passado. Apesar de também ficar em Kyushu(*), levaria algumas horas para ir de carro de Oita até lá, e acredito que chegamos no hotel por volta das 2 ou 3 horas da madrugada.
(*) Ilha ao sul do Japão.
O show naquela cidade foi marcado pela menor distância até então entre o palco e a plateia, como na época da TA Tour. O hall era realmente muito pequeno e havia pouco tempo para a viagem e a realização dos ensaios.
Ao invés de pedir a alguém que lhe fizesse a preparação do palco, Ayu já tinha em mente uma inovação a ser feita: a inclusão de uma narração no encore, que seria ouvida pelo público antes de ela entrar no palco. A narração, aliás, foi gravada no celular e enviada ao staff ainda de madrugada. Ela pensou na mensagem sem nem ao menos ter dormido, e gravou em um canto do quarto levando em conta a baixa qualidade obtida pelo aparelho. No fim das contas, a mensagem teve de ser regravada no hall, mas gostaria que todos que a ouviram naquele dia soubessem como tudo aconteceu.
(*) Nota: a narração acompanhou um vídeo mostrando a reconstrução da cidade, após o terremoto no ano anterior. Para quem não se lembra, Ayumi tem fortes ligações com Kumamoto: a província foi uma das mais atingidas pelo terremoto. Então, Ayumi, TERU (vocalista do grupo GLAY) e o grupo voluntário "TA Project – Kyushu Tamashii" prestaram grande auxílio às vítimas logo nos primeiros dias. Além de fazer várias postagens no Twitter convocando voluntários e pedindo doações às vítimas, a cantora esteve lá pessoalmente distribuindo autógrafos e comida aos desabrigados.

E a performance de 'TODAY' foi completamente diferente daquela vista em Oita, combinando gentileza e força. Dependendo do que Ayu queira transmitir, a interpretação desta música sempre vai mostrar novas formas e emoções.
Ao mostrar tantas faces, sua missão talvez seja se tornar a 'Ayumi Hamasaki' desejada pelos fãs. Mas independente disso, para todos aqueles diante dela, Ayu continuará cantando com todas as forças. Se nesta vida ela nasceu como Microfone (escrava da música), posso afirmar com certeza que a Ayu vista em Oita e Kumamoto brilhou muito mais do que jamais fez anteriormente."


O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com).

October 13, 2017

, ,

Relatório dos Shows em Shizuoka

Recentemente, o site oficial da turnê passou por algumas modificações. Algumas seções tiveram o nome traduzido para o japonês e a aba "Tour Report", onde ficam os relatórios, foi batizada como "O Ponto de Vista de Takako Tsuriya".
Trazemos hoje o relatório referente aos shows de 28 e 29 de setembro, na província de Shizuoka.


"Estamos no meio da turnê, e o site foi renovado! Com isso, os relatórios que venho escrevendo também passarão por mudanças.
Há dois anos fiquei encarregada de produzir os relatórios da TA Tour para o site do fã-clube, onde escrevia livremente e de modo bem pessoal. Este ano, porém, algumas cidades estão recebendo a turnê pela primeira vez, e muita gente (além dos membros do fã-clube) também está assistindo pela primeira vez.
Sempre tentei escrever da forma mais objetiva possível e transmitir as informações sem trazer spoilers, mas minha relação com Ayu já dura mais de 10 anos e tenho acompanhado o backstage dos shows por bastante tempo, o que me permite perceber e compreender as coisas com mais profundidade. Por isso, escrever um simples "relatório" é bem complicado (risos).
Quando o site foi renovado, Ayu me disse "quero que você escreva o que sentiu de verdade, sendo bem sincera. Se quiser, pode até escrever 'nem sei o que dizer, por mais que eu pense'". Assim, aproveitei a renovação do site e dei um novo nome a esta seção, onde vou descrever os shows de Ayu sob o meu ponto de vista.
Sei que ao invés das minhas opiniões muitos prefeririam ler algo escrito pela própria Ayumi, mas se puderem aceitar minha humilde e sincera contribuição, ficaria muito feliz e agradeço desde já. Conto com vocês.

Em Shizuoka!
Durante dois dias, a impressão mais forte que ficou foi a sensação de estarmos em casa, como no Yoyogi. A plateia não foi calorosa apenas com Ayu, mas também com cada um dos dançarinos e performers, que foram muito aplaudidos. Shizuoka é uma cidade que eu já visito quase anualmente graças às turnês, e queria muito ter visto o Primeiro Ato aqui.
A animação do público já era grande antes mesmo do show começar, e ainda aumentou quando Ayu e sua equipe surgiram no palco. A emoção de vê-los tão de perto certamente foi inesquecível. No encore, todos cantaram juntos de uma forma que já vi acontecer muitas vezes em arenas, e o senso de união parecia tão forte que quando vi já estava contagiada.
Os fãs de Shizuoka me mostraram naquele dia que 'Ayumi Hamasaki' é uma artista capaz de proezas como esta.
Ao fim do primeiro show, quando voltou ao camarim, Ayu disse sorridente que a performance tinha sido esplêndida graças à energia do público. Porém, não estava feliz a ponto de ficar satisfeita, pois por trás de cada música apresentada está a busca frenética pelo show perfeito.
"Muito obrigada por fazerem deste um dos melhores shows!". As palavras ditas no MC foram sinceras, mesmo que ela tivesse percebido erros na performance. E no ensaio do dia seguinte, tudo foi devidamente corrigido para que não houvesse qualquer arrependimento. Há coisas que só funcionam em arenas, e coisas que só funcionam em halls.
Por que razão a setlist atual foi escolhida para o Segundo Ato? Que tipo de pessoa e artista ela realmente é? Acho que os últimos shows tornam mais fácil responder a essas perguntas.
Ayumi Hamasaki dedica grande parte do seu tempo a isso, mas qual o verdadeiro valor daquilo que tanto se esforça para produzir? Acho que a resposta está no que cada um dos fãs tem retornado a ela."

O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com).

September 26, 2017

, ,

Sexto Relatório da Turnê: Kochi!

Trazemos hoje o relatório da turnê 'Just the beginning 20' relativo ao show de Kochi, realizado em 18 de setembro.


Relatório do show em Kochi
"Me pergunto até quando poderemos caminhar juntos...". Se existem fãs com este tipo de preocupações, gostaria de dizer que elas são inúteis.
Aquele foi o primeiro show realizado em Kochi, e 80% do público presente era composto por fãs daquela cidade. De certa forma, foi diferente de uma Arena tour; e quem melhor sentiu isso foram os próprios fãs. Talvez porque muitos ali assistiram ao show pela primeira vez na vida, enquanto outros puderam vir pela primeira vez depois de muito tempo.
Ver aquele mar de penlights cor de rosa e o suor escorrendo pelo rosto de Ayu foi de arrepiar. E aquele momento só existiu porque ela pôde estar sobre o palco após o cancelamento da performance em Tokushima.
Compartilhamos essa preciosidade com todos os fãs, e posso afirmar que foi espetacular. Prova disso foi o côro chamando pelo nome de Ayu, que durou do momento em que as cortinas se fecharam após a primeira parte do show até o início do encore.
Há momentos em que precisamos seguir em frente, mesmo que estejamos sofrendo. Há momentos em que nos sentimos perdidos. Há momentos em que nos vemos esmagados por pensamentos negativos.
Nesta convivência temos viajado juntos por muito tempo, ora sendo elogiados, ora sendo repreendidos. Mas acima de tudo, dividindo as alegrias que não se pode sentir em outro lugar senão aqui.
"É o início do fim? O fim do início?", diz a pergunta da narração de Ayu. É claro que nada dura para sempre. Mas de uma coisa eu tenho certeza: o fato de Ayu ter decidido viver esta vida como "Ayumi Hamasaki".
Nesta primeira performance em Kochi no ano do 19º aniversário de carreira, o que Ayumi Hamasaki deixou para trás foi a prova irrefutável da existência de uma artista daquela grandeza.


O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com), na aba "Tour Report".

September 18, 2017

, ,

Relatório dos Shows em Fukuoka


Fukuoka – primeiro dia (11 de setembro)
A última vez que estivemos aqui foi durante a TA Tour do ano passado, e talvez por ser a terra natal de Ayu, recebemos do público os gritos de "bem-vinda" com a mesma animação que a de um show de encerramento no Yoyogi. Naquele retorno triunfal à terra em que ela nasceu e cresceu, tive a impressão de ver mais sorrisos que de costume.
Enquanto pensava nisso, percebi que o céu ficava nublado. Um sinal de que "Ayu está se aproximando e hoje estará na melhor forma".
Ayu entrou no camarim nos dizendo "bom dia!" por trás dos óculos escuros e emanando uma aura bastante determinada. Sentada em um sofá, conferiu os figurinos e as alterações do show. Do momento em que entrou no camarim até a hora do show, tudo foi decidido em questão de minutos.
No ensaio daquele dia, Ayumi cantou no encore a nova música "WORDS". Por um momento, fiquei perplexa com aquela voz ecoando pelo Hall e com a Ayu presente no íntimo daquela letra. Por que esta música veio à tona? Como a verdadeira Ayu, que só podemos alcançar através das músicas, consegue chegar até os fãs?
Depois disso veio a checagem da alteração na abertura, pois ela quis fazer alterações ao ver a abertura em Yokohama. Inclinando um pouquinho o rosto e mudando levemente o posicionamento do corpo, as alterações foram feitas seguindo as instruções da própria Ayu: "nesta parte não dá para ver o rosto. Se não puser mais sentimento aqui, o público não vai conseguir entender. Tenham isso em mente".
Tive a impressão de ter entendido a profundidade que Ayumi quis dar ao show.

Fukuoka – segundo dia (12 de setembro)
Dando continuidade ao primeiro dia, este segundo show também foi lindo desde a abertura! A animação e os gritos do público indicavam que a perfeição do show estava prestes a ser alcançada.
Houve um pequeno acidente no final da primeira parte, mas acho que se Ayu não tivesse perguntado "vocês perceberam?" durante o MC, a maioria do público nem saberia disso. Talvez tenha percebido a preocupação da equipe e decidiu transformar aquilo em piada para nos fazer rir. Ela é deste tipo de pessoa.
Ela é capaz de fazer um escândalo feito criança quando vê um inseto, mas no palco é uma pessoa completamente diferente e parece ter nervos de aço. Se eu estivesse concentrada na música e de repente acontecesse alguma coisa, certamente gritaria no microfone. Sério, eu gritei naquela hora.
Se parar para pensar, já passamos por vários acidentes até hoje... A verdade é que também já houve diversas performances que ofereciam risco com um pequeno descuido. Se, pensando na segurança, pedíssemos para mudar algo que envolvesse os dançarinos e acrobatas, ela imediatamente responderia "sim". Mas não é tão fácil abrir mão quando envolve a si própria, porque para ela, mais que Ayu, a prioridade no palco tem que ser "Ayumi Hamasaki". E a consequência disso é que os shows que ela cria ganham ainda mais brilho.
Tudo é feito pensando no público. Ela quer criar um mundo de sonhos oferecendo tudo que puder. É este o sentimento que herdamos do "Primeiro Ato" da turnê.
E pensando no impacto do tufão no outro dia, o show em Tokushima foi cancelado. Até porque, certas coisas acontecem independentemente da vontade dela.
Com esses pensamentos em mente, me pergunto que tipo de show Ayumi vai apresentar hoje em Kochi......


O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com), na aba "Tour Report".

September 11, 2017

, ,

Quarto Relatório da Turnê: Segundo Ato!


TOUR REPORT No.4
Finalmente começou o Segundo Ato da turnê "Just the beginning -20-"!!
Já faz mais de um mês desde que o Primeiro Ato teminou, e nesse meio tempo, Ayu também esteve no a-nation. Assim, pode-se dizer que ela, juntamente com a equipe, criou dois shows em um curto espaço de tempo neste verão.
Confesso que fiquei animada imaginando como seria a performance, e tenho certeza que vocês pensaram o mesmo, não é? Foi só durante o ensaio geral que tive uma ideia de como seria.

Acho que quem acompanha esses relatórios deve ter percebido que não escrevi sobre os últimos shows em Osaka. Eu até tentei, mas simplesmente não consegui... Peço desculpas a quem ficou esperando.
Mas pensando agora, entendo porque não consegui escrever, mesmo tendo assistido aos ensaios. De alguma forma, eu meio que perdi a "Ayumi Hamasaki" de vista.
Era muita informação para processar, e enquanto eu pensava "ah, com certeza ela vai fazer assim" e depois percebia estar errada, me perguntava que diabos era aquilo que eu estava vendo. Cada novo espetáculo deve fascinar dezenas de milhares de pessoas. Tentei compreender os sentimentos e a pressão que Ayumi Hamasaki sofria naquele momento, mas nunca seria capaz de enxergar pelo mesmo ponto de vista que ela.
Quando percebi isso durante os ensaios, fiquei até tonta.
Claro, houve algo similar há alguns anos. Antes que pudesse notar, vi que Ayu parecia estar distante de mim. Alguém que eu adoro e admiro, mas senti que tinha perdido a parte mais importante. Mesmo em uma situação difícil, ela não é do tipo que se abre ou pede nossa opinião. E não importa o quão profundo seja o teor de uma música, ela não o diz em palavras.
Mas, como sempre, Ayu é muito honesta e está sempre avançando com toda força... A todos que viram os shows da "Ayumi Hamasaki", saibam que existe uma Ayu real e muito humana...
No primeiro dia do Segundo Ato, o show que presenciei no Pacifico Yokohama foi exatamente assim.
Peço mil desculpas por um relatório tão abstrato... (risos).

É bem difícil reconstruir uma turnê com a adição de novas músicas sem mudar a temática. São performances bem diferentes e com um frescor que vai manter a animação de vocês até o fim. Algo que só podia ser feito por alguém como Ayu e sua equipe!!!
E teremos a bela surpresa que levou o público às lágrimas no Pacifico: a tão aguardada música nova!!!!!
Ayu e sua equipe estão preparando uma performance poderosa, que vai aproveitar a sensação de proximidade que só se tem em um Hall e que não deixe nada a dever para os shows em uma Arena!
Amanhã vamos para Fukuoka, terra natal de Ayu! E a partir de agora prometo trazer todos os detalhes deste Segundo Ato.
A todos que virão nos dois shows em Fukuoka: estejam beeeem animados~(*)!!!

(*) No texto original, o que traduzimos como "beeeem" é uma expressão do dialeto de Fukuoka.

O texto original está no site oficial da turnê (ayu2017tour.com), na aba "Tour Report".

September 10, 2017

,

Do fundo do baú – Ayumi Hamasaki em celebração da amizade Japão-China


No último dia 8, depois de dez anos, houve uma cerimônia em Pequim celebrando o 45º aniversário da normalização nas relações diplomáticas entre o Japão e a China.
Mas vocês sabiam que em 2002, além desta cerimônia, foram realizados dois shows reunindo cantores de ambos os países? E que nossa querida Ayumi participou deles?

Como assim, "normalização"?
Todos sabem da grande influência que a China teve sobre a cultura japonesa, mas também são notórios os episódios nada amigáveis entre os dois países: de "incidentes" e conflitos no século 19 até os crimes ocorridos na Segunda Guerra Mundial. Tudo isso resultou em uma tensa relação, que levou ambos a não se verem muito bem durante anos.
A situação só mudou em 29 de setembro de 1972, quando foi assinado em Pequim um tratado que colocava uma pedra sobre o assunto e "normalizava" as relações diplomáticas entre as duas nações.
Infelizmente, ainda assim ocorrem alguns atritos: em 2012, por exemplo, o agravamento da disputa territorial envolvendo um grupo de ilhas no Mar da China causou tantos protestos e ameaças, que decidiram cancelar a cerimônia do 40º aniversário. Que feio, gente!

Mas voltando ao assunto...
Em 2000, durante visita do premiê chinês Zhu Rongji ao Japão, os dois países concordaram que 2002 seria "o ano da China no Japão e o do Japão na China". E em 2001, na visita do primeiro ministro japonês Jun'ichiro Koizumi ao presidente Jiang Zemin, ficou decidido que ambos se uniriam para fazer das comemorações um grande sucesso.
Enfim chegou setembro de 2002, quando tiveram início as comemorações do 30º aniversário do tratado. Houve uma série de eventos nos dois países, em especial na China, como shows da ópera "Madame Butterfly", palestras, exibições em museus, plantio de árvores próximo à Muralha da China e até a inauguração de um monumento em homenagem a esta amizade.
No dia 10, o grupo de j-rock GLAY se encontrou com o presidente Jiang Zemin. A banda se apresentaria em Pequim no dia 13 de outubro e levou uma guitarra de presente para Jiang, que até fingiu tocá-la.

Selos japoneses comemorativos

Shinji Tanimura
Já ouviram falar nele? Trata-se de um cantor e compositor japonês muito famoso. Em 1981, após deixar o grupo "Alice", partiu em carreira solo e começou a se apresentar também em outros países da Ásia, aumentando consideravelmente o número de fãs em Hong Kong, Coreia do Sul, Singapura, China e Tailândia.

   

Shinji passou a compor músicas para cantores desses países, que muitas vezes também incluíam músicas suas no repertório. Com base nesta relação de amizade, cria o evento musical "Pax Musica" em 1984 com cantores de Hong Kong e Coreia do Sul, visando promover a paz e a união cultural entre os vários países asiáticos. Inspirado em suas visitas à China, compõe três anos depois "Subaru", um de seus maiores sucessos.
Resumindo: o cara se envolveu tanto na promoção das relações sino-japonesas que acabou se tornando uma espécie de símbolo. Assim, em 2002 foi oficialmente convidado pelos governos dos dois países para organizar a festa do 30º aniversário.

Chega de enrolação! Cadê Ayumi?
Na noite de 22 de setembro, o Estádio dos Trabalhadores, em Pequim, foi palco para um show que reuniu grandes nomes da música japonesa (Ayumi Hamasaki, Shinji Tanimura, Noriko Sakai e GACKT) e chinesa (CoCo Lee, Alan Tam, Sun Nan, Mao Ning e o grupo Lingdian).

   
Shinji Tanimura e Noriko Sakai

O site web-japan escreveu: "Entre os cantores do Japão estava a extremamente popular Ayumi Hamasaki, que encantou o público presente não apenas com sua música, mas também com sua beleza e o cumprimento em mandarim 'ni hao, wo ai ni' ('olá, eu amo vocês')".
A cantora apresentou uma curta setlist formada por "Love ~Destiny~", "M" e "HANABI", além de um visual com umbigo à mostra que foi considerado sexy. Durante a performance, os 45 mil espectadores japoneses e chineses pareciam unidos pelo poder da música, o que no fundo era o grande propósito do show.

   

   
Ayumi e seu umbiguinho sexy alegram o público. Embaixo, CoCo Lee e Noriko Sakai.

No fim, todos os artistas se reuniram no palco e cantaram a música "Houseki" ("Joia"), composta por Shinji Tanimura especialmente para o evento.

   

Mais tarde, Ayumi comentou: "estou muito feliz por ter participado deste evento histórico". Perguntada sobre a possibilidade de uma turnê pela Ásia, disse "claro, quero muito fazer! Seria interessante".
Vale lembrar que sua popularidade na Ásia já era grande: na China, os CDs eram vendidos há três anos e os pvs estavam sempre nos programas musicais. Além disso, em fevereiro daquele mesmo ano, ela esteve no "1º MTV Asia Awards" em Singapura e recebeu o prêmio de 'Artista Mais Infuente da Ásia'. Não à toa, a mídia chinesa comentou que sua popularidade entre as garotas do país era quase tão grande quanto a da igualmente japonesa Momoe Yamaguchi.

Acabou aí? Nada disso!
No Japão também houve um evento parecido. Em 27 de outubro a NHK exibiu o "Festival Artístico dos 30 Anos de Amizade Japão e China", com transmissão ao vivo para os dois países. Além de Ayumi, o "time" japonês contou com Shinji Tanimura, Mayumi Itsuwa, Hiroshi Itsuki e os grupos DA PUMP, Tanpopo e MAX.

   

O programa foi apresentado pelo japonês Ryuji Miyamoto e os chineses Shu Jin e Sou Kahan.

Sou Kahan, Shu Jin e Ryuji Miyamoto

Na vez de Ayumi, Ryuji disse: "agora vamos chamar uma jovem artista representando o Japão. A cantora que conquistou grande e instantânea popularidade no mundo do j-pop: Ayumi Hamasaki". Bastou dizer isso para que a plateia se manifestasse com gritos e aplausos, o que chamou a atenção do apresentador.
Depois comentou com Shu Jin: "Hamasaki-san se tornou um ícone para as garotas da Ásia com sua música, sua elegância ao vestir e seu estilo de vida. Aliás, ela esteve em Pequim no mês passado, participando de um concerto, não é?" e a apresentadora respondeu "é verdade. E bastou eu dizer o nome 'Binti Bu' (pronúncia do nome de Ayumi na China) para que os jovens fossem à loucura. Ela é muito querida lá".

Em Pequim, bastou Shu Jin dizer as "palavrinhas mágicas" para enlouquecer o público.

Ayumi foi anunciada e cantou "Voyage", usando um longo vestido branco. Quando terminou, os apresentadores agradeceram e Sou Kahan comentou "a performance dela, como de costume, foi espetacular!".

   
 
   

Confiram aqui esta performance de Ayumi!
No final do programa, todos se reuniram no palco e os apresentadores encerraram a transmissão desejando que a amizade e a cooperação entre Japão e China se tornassem cada vez maiores.

   

   

E em 2017?
Assim como nos anos anteriores, a agenda das comemorações tem apenas eventos mais simples, como exposições, palestras, campeonato de pingue-pongue e concertos de música clássica e ópera.
Shinji Tanimura, por sua vez, esteve em Xangai no mês de junho celebrando o 45º aniversário do tratado e os 45 anos de carreira com um show, que agitou milhares de fãs chineses. O cantor ainda fará apresentações no Japão nos próximos meses, mas sozinho...


Fontes: